Política

Entrevista com os pré-candidatos a governador do RS, Pedro Ruas

Publicada em 17/05/2022 às 18:32h - 281 visualizações

por Conexão Notícias/Antonio Silva


Compartilhe
Compartilhar a notícia Entrevista com os pré-candidatos a governador do RS, Pedro Ruas   Compartilhar a notícia Entrevista com os pré-candidatos a governador do RS, Pedro Ruas   Compartilhar a notícia Entrevista com os pré-candidatos a governador do RS, Pedro Ruas

Link da Notícia:

Entrevista com os pré-candidatos a governador do RS, Pedro Ruas
 (Foto: Pedro Ruas/Redes Sociais/Reprodução)

São muitos os desafios de um governante. E pensando nisso, abrimos um espaço, em parceria com o Canal do Professor Henrique Keske e com o jornalista Antonio Silva, para ouvir os pré-candidatos a governador do RS. Assim podemos acompanhar os temas para o desenvolvimento da sociedade gaúcha: Educação, Saúde, Segurança, Políticas Públicas e Diversidade e Inclusão.

O primeiro a aceitar o convite foi Pedro Ruas, vereador de Porto Alegre, eleito com 14.478 votos para seu 6º mandato como Vereador, e pré-candidato a governador. Pedro começou contextualizando o desafio econômico que é gerir o RS.

Situação do RS

Segundo ele, é preciso rever a política de isenções fiscais “são mais de R$ 10 bilhões ao ano em Isenções Fiscais”. Além disso, Pedro defende uma rediscussão sobre o Fundopem (Fundo Operação Empresa), Lei Kandir, pois somente assim recuperaríamos recursos fundamentais para o desenvolvimento do Estado. Ele conta ainda que, em um levantamento feito pelo Governo Eduardo Leite, a União deve ao RS 115 bilhões da Lei Kandir. 

Sobre a adesão ao Regime de Recuperação Fiscal, Pedro diz que ele não resolve nosso problema, pois o acordo foi feito para que o Estado receba R$ 6 bilhões em 16 anos. Cabe ressaltar que ao discutir a dívida é preciso lembrar que a dívida vem do governo Antônio Britto em 1998 no valor de R$ 9,5 bilhões, dos quais já pagamos R$ 30 bilhões e ainda devemos R$ 73 bilhões. E se esse valor fosse atualizado pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) a dívida gaúcha já teria sido paga em 2015, e seríamos credores de mais de R$ 8 bilhões.

De acordo com Ruas, é preciso discutir profundamente o Regime de Recuperação Fiscal, já que a adesão do mesmo impede novos concursos e investimentos. "O Estado está inviabilizado pela Lei Kandir, Isenções Fiscais e a Dívida com a União”.

Saúde e educação 

Pedro defende uma reestruturação financeira para melhorar a distribuição dos recursos “quem tem o poder político tem que mudar a situação financeira”. Para isso, ele acredita que a educação tem que ser pública e de qualidade “eu defendo a escola de turno integral. A criança tem que ter alimentação, acompanhamento médico e odontológico.” Além disso, ele acredita que a educação é a chave para o desenvolvimento “a educação é o que dá nivelamento para a igualdade de oportunidades. “.

Na saúde Pedro enfatiza a necessidade de investimentos “os profissionais recebem muito mal, tem tratamento ruim e sem condições de trabalho.” Para ele, esse é o retrato do descaso com a saúde pública. 

Segurança 

Na área da segurança, Ruas defende que aconteça um debate plural, visto que “o debate sobre segurança não pode excluir os outros temas''. É preciso falar de moradia, trabalho e renda. A miséria gera violência”.

Ele conta sobre o PL 211/2020 que prevê a instalação de câmeras nas viaturas e nos uniformes dos policiais “é meu o projeto para a instalação de câmeras nos uniformes e nas viaturas, São Paulo fez isso com um grande resultado, reduziu muito a violência, é para a proteção do próprio policial também”. Explica.

Também está sob seu olhar na segurança melhorar as condições de trabalho, nivelamento de salários e novos concursos “é preciso um olhar mais amplo e focado nas condições gerais da sociedade”. Completa.

Políticas Públicas 

De acordo com Ruas, pensar políticas públicas é olhar para a formação do Estado, "as funções do Estado e a garantia das condições através das políticas públicas”. E completa "olhar para a educação é olhar para política pública”.

Outro ponto levantado por ele foi a preservação do que é público e governar para a maioria “preservar o público é fundamental e governar para a maioria e, para quem, realmente precisa do Estado. Explica.

Diversidade e Inclusão 

Pensar Diversidade e Inclusão é pensar no desenvolvimento social do Estado. E Pedro analisa como urgente o pensar sobre o tema já que “o Estado em geral não tem política de inclusão e não respeita a diversidade". 

Salienta também que é essencial que combatamos a discriminação em todas as formas “aquele que é diferente por qualquer motivo sofre discriminação e se sente fora, por estar de fato excluído.” Completa.

Para ele, pensar em Diversidade e Inclusão é torná-la um elemento cultural “as pessoas não pensam no assunto” e por conta disso alimentam ações que sustentam atos como “racismo estrutural, violência contra a mulher, violência de gênero, entre outras”. Concluí.

Recado Final 

Para finalizar Pedro Ruas deixou a seguinte reflexão “Conheça os pré-candidatos, seus pensamentos e ações para saber porque querem governar... Olhem a biografia do pré-candidato para ver se o discurso está alinhado com o que ele diz”. Finaliza.

Na próxima semana conheceremos aqui as ideias do pré-candidato Marco Della Nina do Patriota.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (51) 99648 3615

Visitas: 4068857
Usuários Online: 42
Copyright (c) 2022 - Conexão Noticias - Informação na palma da sua mão
Converse conosco pelo Whatsapp!