Conexão Noticias
Parobé

Hospital de Parobé realiza sua primeira captação de órgãos para transplante

Publicada em 28/01/2022 às 17:28h - 374 visualizações

por Conexão Notícias


Compartilhe
Compartilhar a notícia Hospital de Parobé realiza sua primeira captação de órgãos para transplante  Compartilhar a notícia Hospital de Parobé realiza sua primeira captação de órgãos para transplante  Compartilhar a notícia Hospital de Parobé realiza sua primeira captação de órgãos para transplante

Link da Notícia:

Hospital de Parobé realiza sua primeira captação de órgãos para transplante
 (Foto: Divulgação )

O diagnóstico foi realizado pela equipe da emergência do Hospital São FranciscodeAssis, de Parobé, coordenada pelo médico Dr. Alexandre Farret, com o apoio da OPO 1, Organização Estadual de Procura de Órgãos, que apoia os hospitais e se reporta à Central de Transplantes.

O procedimento de captação dos órgãos foi realizado pela equipe transplantadora da Santa Casa de Misericórdia, de Porto Alegre, que se deslocou à Parobé. Conforme a Diretora Técnica do HSFA, Drª Caroline Salim, no Brasil, existe uma legislação que regulamenta os transplantes, que são todos realizados pelo SUS. Cada estado tem uma Central de Transplantes, porém com uma lista única.

Quando há um doador, a Central de Transplantes roda a lista pra ver quem está à espera daquele órgão. 'Poder contribuir com o transplante de órgãos é um passo muito importante para o HSFA', declara.

A doação atendeu ao desejo da familia,que transformou a dor da perda em esperança para outras pessoas que dependem do transplante para viver. Para que todo o processo tivesse sucesso, a atuação rápida da equipe do HSFA após o diagnóstico do paciente foi muito importante para a manutenção dos órgãos. Foram doados os dois rins e o fígado.

Conforme uma enfermeira do HSFA que participou do processo, foi momento difícil e doloroso para família, mas a emoção tomou conta de todos com a possibilidade salvar outras vidas. 'Foi impactante fazer parte deste momento histórico para o hospital. Entendemos, nos solidarizamos e sentimos a dor da família, mas como profissional me sinto honrada e grata em ter participado deste processo' relata a profissional. Segundo a Dra. Caroline, no Brasil ainda existe muita negativa familiar à doação por desinformação. 'As famílias ainda tem muitas dúvidas. Poucos sabem, por exemplo, que um doador pode salvar até oito vidas'. Ela ainda reforça que o diagnóstico de morte encefálica é um diagnóstico de óbito. São realizados três testes por médicos diferentes, sendo dois testes clínicos e o terceiro de imagem do cérebro, não deixando dúvidas.

 




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (51) 99648 3615

Visitas: 3957093
Usuários Online: 56
Copyright (c) 2022 - Conexão Noticias - Informação na palma da sua mão
Converse conosco pelo Whatsapp!